sexta-feira, 25 de março de 2011

e que tal?

''Um dia telefonarei te e ficarei em silêncio, e tu perceberás que eu tenho saudades tuas.
Ou vais enviar-me uma pequena mensagem “Olá meu bem” e eu vou-te descrever que tempo está hoje e como estou vestida, coisas sem sentido nenhum, mas tu irás compreender a minha loucura.
Haverá um dia em que ficarás verdadeiramente feliz, conta me tudo, está bem? Porque eu ficarei realmente feliz com a tua felicidade.
Um dia quando te sentires muito mal e ninguém estiver lá, eu vou tentar ficar perto de ti. Pegar te na mão e dizer que amanhã tudo irá ser diferente.
Talvez um dia até irei ter contigo de noite, alegre e animada e irei dançar sem vergonha à tua frente e ao amanhecer adormecerei no teu ombro. E quando acordar, olharei te no fundo dos teus lindos olhos e tu vais-me reconhecer, porque sim, tu conheces me.
Eu quero saber que te tenho aqui, sempre tão amável e atencioso. Imagina, um dia vais enviar-me uma mensagem “Estou tão mal, vem cá” e eu largarei tudo e irei ter contigo onde quer que estejas, assim do nada, sem demasiadas palavras, abraçarei te com força.
Que tal de vez em quando encontrarmo-nos? Comer-mos gelados juntos, passear, falar, rir, coisas tão banais mas agradáveis de se fazer.
Quero escrever te, escrever te muito, quero ser outra – eu mesma. Mas sempre nova e inesperada.
Que tal escondermo-nos num cantinho nosso? E não contarmos nada aos outros, será um cantinho só nosso? Um cantinho cheio de carinho, luz, calor e felicidade.
Que tal apenas termos um ao outro? Por favor, não me percas nunca até ao fim.''

Sem comentários:

Enviar um comentário