segunda-feira, 21 de março de 2011

o amor tal como o efeito de qualquer droga, tem um fim

'' Eu acho que o amor não existe. Amor entre um homem e uma mulher. Livros dizem que o amor é o sentimento de hábito, necessidade de ligação e contacto constante com o objecto de amor. E alguém já pensou de onde vem esse sentimento de hábito? Os cientistas já há muito tempo provaram que tudo aquilo que nós chamamos de amor são apenas processos bio-quimicos da nossa mente. E não há nada de engraçado aqui, até é triste. O amor é uma forma de doença. A pessoa perde sono, apetite, faz coisas irracionais, faz lembrar um estado de uma pessoa intoxicada por drogas. E amor como o efeito de qualquer droga, tem um fim. E o que sobra depois? Sim, a ressaca. E depois da ressaca – Vazio. E a pessoa não sabe o que fazer com esse vazio. Como regra, nos adultos, o vazio é logo preenchido com o álcool. E eu já nem digo das mortes que são provocadas por essa doença, suicídios, duelos, guerras, sou seja, nada de positivo. ''

Sem comentários:

Enviar um comentário