sábado, 11 de junho de 2011

não queiras saber de mim

'' Não queiras saber de mim, esta noite não estou cá. Quando a tristeza bate, pior do que eu não há. Fico fora de combate, como se chegasse ao fim. Fico abaixo do tapete, afundado no serrim. Não queiras saber de mim, porque eu estou que não me entendo. Dança tu que eu fico assim, hoje não me recomendo. Mas tu pões esse vestido, e voas até ao topo, e fumas do meu cigarro, e bebes do meu copo. Mas nem isso faz sentido, só agrava o meu estado. Quanto mais brilha a tua luz, mais eu fico apagado. Dança tu que eu fico assim, porque eu estou que não me entendo. Não queiras saber de mim, hoje não me recomendo. Amanhã eu sei já passa, mas agora estou assim, hoje perdi toda a graça, não queiras saber de mim. ''






Sem comentários:

Enviar um comentário