sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

quando o amor se transforma em veneno

Quando o amor se torna veneno e a vida muda

Mas as impurezas purificam-se com chuva
São mágoas afogadas em águas passadas
Pessoas íntimas tornam-se inimigas
E o vento leva a memória das nossas vidas
Como folhas já castanhas, que o sol ilumina
As nossas almas, só mais uns dias 
Dias quentes são noites frias.
/dealema




Sem comentários:

Enviar um comentário